quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Saudades Antonio e boas lembranças!










Sábado dia 22 de agosto de 2009,ao chegar do trabalho ,minha vizinha da frente me gritou com muita aflição,ali minha forte intuição dizia que algo de ruim havia acontecido com Antonio(para breve esclarecimento Antonio é meu neto gato,amigo e lindo),tinha fugido de novo para passear,e ela estava com ele em casa?Antonio é uma criatura hipnótica pela beleza e pelo amor dedicado a mim e meus filhos,já que a maioria dos humanos tendem a subestimar os sentimentos dos felinos,meus vizinhos e amigos acham muito engraçado o nome dado por mim ao meu neto,sempre desejei ter um filho com o nome Antonio,nunca realizei , meus “ex” maridos nunca deixaram,então meu novelo de lã foi batizado assim,já tinha me acostumado a ser recebida com tanto entusiasmo e carinho quando chegava em casa,sem Guga está presente(porque Guga me recebe sempre com muito carinho),adorava ver aos pés da minha cama aquele espetáculo da natureza se lambendo e silenciosamente demonstrando lealdade.Antonio que sempre é importunado por Gustavo e nunca nem sequer deu uma arranhada para se defender,imagine uma criança de cinco anos agarrando,puxando pelo rabo,um gato adolescente?Amo animais de estimação,não consigo viver sem eles na minha casa,me sinto feliz em “carinhar”,conversar e ser reconhecida sem palavras e sem segundas intenções.E Antonio é assim,pouco mia,higiênico,educadíssimo e bom coração,mas desgraçadamente neste sábado citado,quando estava trabalhando,minha parceira do lar Fáfá e minha tia Zilda,viram com tamanho desespero meu gatinho,lindo,no final da tarde desesperadamente morrer por envenenamento,não tiveram coragem de dar fim no corpo,elas sabiam que era ultima coisa que poderiam fazer para amortecer minha dor.Depois que a vizinha me disse,preocupada com meu susto ao chegar em casa,confesso que desejei que ela fosse uma mentirosa,ou que Antonio apenas tinha tido um ataque epiléptico,sei lá,convulsão,mas cheguei no meu quintal,bem próximo dos carrinhos de brinquedos que ele gosta tanto de sair arrastando pela casa,estava meu amigo,tristemente magro,com sua pelagem tão linda amarela,morto,não consegui chorar,tive nojo da morte,tive raiva de todas as casas vizinhas,pensei em sair gritando xingando todos:ASSASSINOS!Mas é incrível como rapidamente perdemos a força e aceitamos,existia uma criança que não poderia ver seu filho(é assim que Guga chama Antonio),seu bichinho,daquele jeito,só me restou sem lágrimas,coração palpitando,colocar meu amigo numa caixa e jogar no rio,resolvi jogar nesse rio podre desta cidade,que esse povo nojento,transformou em refugio dos ratos,ratos que eu odeio com todas as minhas forças,culpei o rio,culpei o povo,culpei a minha idiotice de achar que morando num lugar seguro,pelo respeito a liberdade, poderia deixar meu bichano brincando nos jardins,caçando borboletas e ratos também!Estou cortando bandeirolas pretas,colocarei na minha varanda,pode ser que Antonio brincou com algum rato envenenado(ele sempre brincava com os ratos até mata-los, jamais comia)mas pode ser também que alguém,com tamanha ruindade deu ao meu gato veneno,nem quero imaginar os motivos,minha vizinha me disse que quando algum bicho da casa morre está livrando alguém da família do pior,as minhas bandeirolas do luto,vai mostrar para quem fez esta maldade, que eu estou sentindo e que não sou uma idiota que apenas tinha um bicho e só.Eu tenho,eu sou amor!

P.S:não falo de Antonio no pretérito,e não apagarei do meu perfil,porque neste blog,não existe a morte de quem eu amo!

Um comentário:

claudio disse...

Eu até hoje sempre lembro de Antônio!!! Lindo realmente, tinha o nome do meu protetor!!1 Conseguia atrair minha atenção todas as vezes que me dirigia àquele lar, doce lar. Lugar que eu amo, e que mora uma GRANDE AMIGA, QUE EU TAMBÉM AMO!!!!!