segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Saia da pokebola e vá ser feliz!




Nunca fui muito inclinada para os assuntos da heteronormatividade, afinal, sou uma heterossexual (até hoje, amanhã não sei), mas nesses dias a questão da orientação sexual tem me tocado bastante, não sei se foi por conta dos meus próximos, do mini curso Tá entendido?Oferecido pelo NEIM-UFBA, ou tudo misturado. Acho de uma “cafonice” extrema ter que se enquadrar em algum lugar fixo, essas declarações de quem sou, onde estou o que gosto,pra onde vou,são muito chatas, nada mais ultrapassado do que você ter que se enquadrar para ser visto como normal ou como doente também.Sempre fui muito próxima do mundo Gay e Lesbico,alguns amigos viram em mim uma pessoa da qual eles podiam se revelar,pois o sexo para mim é tão descomplicado,que nunca vi em nada que fosse mutuo como uma anomalia. Fico muito feliz em atravessar o tempo sem julgar as pessoas pela sexualidade delas,tanto faz se “ela lava ou se cozinha” isso  não me diz absolutamente nada, olha que sou perita em julgamentos alheios, mas outras coisas são mais fundamentais para mim, o olhar por exemplo. Entristece-me quando vejo o sofrimento de quem ainda está preso a essa normatividade androcentrica, a essa gente que não se permite a liberdade de viver sua subjetividade com a coragem de quem quer ser feliz, tenho medo dessas pessoas, elas tendem a utilizar o tempo delas com maldades, fuxicos, energia ruim, intolerância e muita violência. Adalberto Paranhos diz que o ato de se declarar homossexual ou lesbica é um ato político, estou vivendo isso de perto, depois que assistir muitos saírem da POKEBOLA, vi uma onda de FELICIDADE E CORRENTE SOLIDÁRIA invadir essas pessoas. Talvez elas nem saibam quem é Adalberto, muito menos que estão fazendo política, porem, fico tão contente ao vê-las amando,saindo da crisálida,voando,vivendo a vida delas em vez da vida alheia. Entretanto essas pessoas ainda são uma minoria, a maioria estão ainda sufocadas dentro dos armários da família conservadora, das igrejas cristãs pedofilas da vida, das instituições que tratam qualquer atitude que vá contra a norma, como patológica. Adolescentes ricos de São Paulo, lour@s linderrim@s , menin@s  de novela  da Globo, velh@s com cara de comercial de natal, jovens professor@s, fieis burgueses que falam de um Cristo Socialista, são essas as pessoas que vejo nos noticiários e na minha vidinha real  serem as mais lesbofobicas e homofobicas, pessoas que a ideologia hegemônica nos mostra como as “normais”. Sabe de uma coisa, vou morrer não gostando de gente normal, prefiro ver os pokemons evoluindo, e para isto eles precisam sair das POKEBOLAS.

P.S: dedico esse texto a todos os que amo e estão com as asas tão lindas por serem todas trabalhadas com as tintas do amor, vocês sabem que até o fim estarei com vocês e meu lar será sempre abrigo para que possam mostrar a verdade de vocês.

Um comentário:

claudio disse...

É isso aí amore!! Embora pessoas insistam em "coibir" as manifestações alheias, sempre soube dessa sua ligação com os q estão pxmos d vc! Aliás, vc eh uma pessoa cm a ql todos do seu círculo de amizades podem contar, p qlqr q seja o tema!! TE AMOOOO... ;D