quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Copo da loucura!


O primeiro copo é dos Deuses,o segundo da sede,o terceiro é do sono,o quarto é para loucura,vez ou outra repito esse adágio grego,muitas vezes nas celebrações regadas a muita bebida alcoólica.Minha experiência como consumidora de bebidas alcoólicas foi curta,começou quando eu tinha 18 anos e terminou antes de completar 19,com um vexame,beijei quem não devia,falei o que não convia,como naquela canção de Assis Valente,parecia que o mundo ia acabar e eu queria mais era avacalhar,resultado da cachaçada,eu toda mijada,defronte a antiga pousada do Coronel,num acesso de choro e enchendo o saco dos meus amigos,e eles implorando que nunca mais eu bebesse,obdecí!Só que esta criatura nefasta e tão socialmente aceitável não se afastou da minha vida,ele vive perturbando o equilíbrio de alguns que amo e que são indispensáveis para minha existência neste planeta,mesmo sem beber,já derramei muitas lágrimas por causa das bebedeiras dos meus,meu primeiro casamento acabou por causa da compulsão do meu "ex" pela bebida,um homem lindo de abalar Paris,inteligente,bom pai,porem quando bebe...Alguns amigos também tem uma relação péssima com esta bebida tão facilmente aceita nas celebrações à vida,todos contam histórias engraçadas sobre pileques,fazem poesia na embriaguez,alguns bêbedos que vivem na sarjeta tornam-se figuras tradicionais nas cidades,pessoalmente não vejo a menor graça,sempre quando vejo uma pessoa indo ou sendo acaba pelo alcoolismo,penso em quem fica em casa esperando pelo retorno daquele(a) filho(a),mãe,pai,esposo(a).Freud diz que as drogas liberam o "alter ego",os espiritualistas afirmam que dão vazão a mediunidade desequilibrada,"eu" levanto a bandeira de que ninguém é feliz dependente de uns goles a mais para ser alegre.Sou mais Dionísiaca que Apolínea,mas estar consciente,sóbria é uma das melhores sensações em ser gente,existem problemas e cada um sabe das suas dores em ser e existir,mas fugir é se condenar a ser infeliz,pode até ser que a felicidade plena não exista ,porem deitar e sentir que fez tudo certo,que não esqueceu nada,não magoou ninguém com gestos ou palavras,que trepou com quem valia a pena,não queimou dinheiro com idiotices,não exagerou e abusou do seu corpo,isso pode não ser o estado "nirvana" da vida,mas vou confessar todas as vezes que terminei o dia com esse sentimento de dever cumprido(foram poucas vezes)que deitei e dormir leve como leve pluma,isso foi melhor do que uma boa foda,do que comer o mais delicioso chocolate,foi melhor do que afogar as magoas num ombro amigo,foi como se estivesse nos braços de Deus!

Um comentário:

Luana disse...

Infeliz é aquele que acha que só é feliz através da bebida alcoólica! Texto muito interessante de uma verdade absoluta!