quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Herculano Neto!


Quando ganhei pelas mãos dele o livro “Sob prescrição”eu estava perdida,sem saber como me achar,me marcou a gentileza daquele rapaz,aristocrático,ele vestia uma belíssima camisa que estampava a figura de Woody Allen,eu com toda minha burrice(típica de uma capitalista selvagem)não entendi que diante de mim estava uma força,um domador de palavras.Só quando li Cerveja Escura,que entendi,quem era aquele menino,não conheço um poeta na idade dele que tenha um domínio tão concreto sobre a palavra,elegante,preciso e veloz no que escreve,este é meu conterrâneo Herculano Neto,nem vou mencionar o quanto é premiado,isso já é lugar comum,mas o quanto é feliz no que escreve,seja com um humor acido e sujo ou docemente inocente e didático para crianças, tem a medida certa,nunca vi fazer nada melado ou vulgar, coisas triviais no nosso cotidiano,tornam-se majestosamente poéticas sobre o toque desse jovem senhor,quando leio Herculano,entro na poesia,como se estivesse próximo da cena onde acontece os fatos,sejam nos seus poetrix ou raicais(me corrijam por favor),cinéfilo com um gosto estético apuradíssimo,faz a linha low profile,agradeço até hoje por ter apresentado algumas influencias para minha vida,Paulo Lemisnk(que Dum Lima muito maledicente me disse que era um psicólogo,rsrs), Ediney Santana e o hábito de ser blogueira,sim foi ele que mais me influenciou nisso aqui,o blog “Porque você faz poema”é lindíssimo e inspirador,excelente critico de arte,principalmente quando fala em cinema, “Cinema” é o nome do ultimo livro de poesias de Herculano,transita muito bem no mundo da musica,sua parceria com Milton Primo e Roberto Mendes rendem frutos deliciosos,”O adeus” e Gestos são lindíssimas,chamo particularmente ele de poeta Blasé,adoro a soberba da sua poesia e a faca amolada que ele carrega e quando preciso usa,tenho a impressão que existe neste poeta um índio trapicheiro que convive ao lado de um lord inglês,que o tempo permita inspiração inesgotável a esse Santoamarense e que não fique distante do melhor que há na poesia dele “os conflitos em ser humano”

Um comentário:

Hneto disse...

O que posso dizer? Talvez agradecer pela generosidade das palavras, embora ache o retrato que pintastes muito mais belo e interessante do que o original (mas a verdade não está nos olhos de quem vê?). Não espero apenas que venham outros livros e outras canções, mas que principalmente venham novos artistas de todos os lados da cidade.